Mundo

Trump testou positivo para Covid pouco antes de debate com Biden em 2020, revela livro

Meadows argumenta que ‘nada iria impedir Trump’ de debater com seu adversário democrata na eleição presidencial de 2020

Foto: BRENDAN SMIALOWSKI/AFP
Foto: BRENDAN SMIALOWSKI/AFP

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump testou positivo para Covid-19, e depois negativo, três dias antes do debate com o democrata Joe Biden em 29 de setembro de 2020, de acordo com um livro de seu ex-chefe de gabinete Mark Meadows, o qual o jornal The Guardian obteve uma cópia.

Mark Meadows argumenta em um livro que será publicado na próxima semana que “nada iria impedir Trump” de debater com seu adversário democrata na eleição presidencial de 2020, que conferiu a Biden uma vitória muito questionada por seu rival.

O último chefe de gabinete do ex-presidente garante que Trump apresentava, no momento do teste positivo, realizado em 26 de setembro de 2020, sinais de cansaço e sintomas de um “leve resfriado”.

Mark Meadows disse que advertiu Trump sobre seu teste positivo enquanto ele estava a bordo do Força Aérea Um, a caminho de um comício de campanha, segundo o The Guardian.

Ele afirma que, após o primeiro teste, realizado com um “método antigo”, foi feita uma segunda análise com um sistema considerado “muito mais preciso”, o “Binax”. Desta vez, o resultado foi negativo. Trump viu como “permissão total” para continuar com sua agenda. Uma semana após o evento, Trump estava no hospital.

Em 2 de outubro, ele anunciou em sua conta do Twitter que ele e sua esposa Melania testaram positivo para covid-19. Nesta quarta-feira, no entanto, o bilionário republicano argumentou que as afirmações de Meadows são falsas.

“A história segundo a qual tive covid antes, ou durante, o primeiro debate, são ‘notícias falsas’. Na verdade, um teste mostrou que eu não tinha covid antes do debate”, destacou.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!