Trump lançará sua própria rede social, diz ex-assessor

O republicano teve seus perfis excluídos das principais plataformas

O Ex-presidente dos EUA Donald Trump. Foto: AFP

O Ex-presidente dos EUA Donald Trump. Foto: AFP

Mundo

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, planeja retornar às redes sociais em breve usando “sua própria plataforma”, após ser banido do Twitter e de outras mídias digitais, afirmou um ex-assessor do ex-presidente neste domingo 21.

 

 

“Acho que veremos o presidente Trump retornando às mídias sociais provavelmente em cerca de dois ou três meses”, contou Jason Miller à Fox News.

“Isso vai redefinir completamente o jogo, e todos ficarão esperando e observando para ver o que exatamente o presidente Trump faz, mas será sua própria plataforma”, disse Miller, que ocupou cargos importantes nas duas campanhas presidenciais de Trump.

O uso provocativo das redes sociais por Trump foi uma característica marcante de sua presidência. Ele atraiu 88 milhões de seguidores no Twitter e frequentemente usava tweets para atacar seus críticos e anunciar mudanças de equipe e medidas políticas significativas.

Porém, o Twitter suspendeu permanentemente sua conta @realDonaldTrump depois que ele a utilizou para encorajar seus apoiadores a participarem do comício que se transformou no violento ataque ao Capitólio dos Estados Unidos em 6 de janeiro.

Trump também foi banido, temporária ou permanentemente, por outras plataformas importantes, incluindo Facebook, Instagram, YouTube e Snapchat.

Desde que deixou Washington e voltou para seu resort em Mar-a-Lago, na Flórida, o ex-presidente se manteve relativamente discreto, emitindo ocasionalmente comunicados à imprensa.

Miller disse que Trump esteve trabalhando duro. “Ele tem tido muitas reuniões poderosas em Mar-a-Lago com algumas equipes de gente que tem vindo”, afirmou Miller. “Houve inúmeras empresas.”

“Essa nova plataforma vai ser grande e todos o querem. Ele vai trazer milhões e milhões – dezenas de milhões de pessoas para essa nova plataforma”, acrescentou.

Miller não forneceu outros detalhes, nem disse se estará pessoalmente envolvido.

Apesar da derrota de Trump em novembro para o democrata Joe Biden, ele continua influente no Partido Republicano e não descartou uma terceira candidatura à presidência em 2024.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Post Tags
Compartilhar postagem