Trump diz para pessoas ficarem em casa após estimular que EUA voltem ao trabalho

Presidente do país com mais infectados no mundo, Trump vem se contradizendo a cada semana em suas orientações aos americanos

Donald Trump (Foto: Andrew Caballero-Reynolds/AFP)

Donald Trump (Foto: Andrew Caballero-Reynolds/AFP)

Mundo,Saúde

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem apresentado uma série de contradições em relação a como o país deve lidar com a pandemia do coronavírus, que, agora, estabeleceu epicentro nos EUA – com mais de 85 mil casos, a nação já é a mais infectada do mundo. Depois de Trump anunciar que o país voltaria a trabalhar em breve, os americanos passaram a receber uma carta com o nome do presidente pedindo para que todos ficassem em casa.

Na terça-feira 24, o presidente anunciou que planejava “reabrir” os EUA logo depois da Páscoa, no dia 12 de abril. “Nosso povo quer voltar ao trabalho. Eles irão praticar o distanciamento social e tudo mais, e os idosos serão cuidados com proteção e amor. Nós podemos fazer as duas coisas juntos”, escreveu Trump no Twitter, contrariando todas as recomendações da Organização Mundial da Saúde para que a população, em um todo, fique em casa.

Durante a semana, porém, os americanos passaram a receber uma carta pelos correios nomeada de “Guia do Presidente Trump para o Coronavírus nos Estados Unidos”, marcada com a assinatura da Casa Branca e do Centro de Controle de Doenças (do inglês CDC). O documento, que foi divulgado pelos jornais americanos, recomenda que os jovens também fiquem em casa para não “aumentar o risco para outras pessoas”.

De acordo com as imagens divulgadas, a carta foi enviada já mais de 10 dias, em 16 de março de 2020, mas continua chegando às casas.

(Foto: Reprodução/Tampa Bay Times)

(Foto: Reprodução/Tampa Bay Times)

“Mesmo se você é jovem, ou também saudável, você está em risco e suas atividades podem aumentar o risco para outras pessoas. É necessário que você faça sua parte para diminuir a velocidade de disseminação do coronavírus”, diz o documento.

Em mais um de seus momentos contraditórios, o presidente retuitou nesta quinta-feira 26 um vídeo de uma entrevista coletiva em que ele parabenizava os americanos que estavam em isolamento social. “Ao ficarem em casa, vocês estão salvando vidas”, diz a publicação.

Em outro vídeo, Trump republica uma fala do diretor geral da Organização Mundial da Saúde, que pede por compromisso político dos líderes para que o mundo possa sair da pandemia. Na legenda da Fox News, emissora defensora do governo Trump, a legenda diz que o diretor estava pedindo pela liderança de Trump, ao qual o presidente escreveu, no Twitter: “O mundo está em guerra com um inimigo invisível. Nós iremos vencer!”.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem