Mundo

Tiroteio em escola na região central da Rússia deixa nove mortos

O fenômeno dos tiroteios era algo raro no país, em particular nas escolas, mas nos últimos anos se tornou mais frequente

O governador da região, Alexander Brechalov, faz um balanço das vítimas em vídeo gravado em frente a escola pós-tiroteio nesta segunda-feira 26. Foto: Telegram / @brechalov / AFP
Apoie Siga-nos no

Ao menos nove pessoas, incluindo cinco crianças, morreram em um tiroteio em uma escola na cidade russa de Izhevsk (região central do país), anunciaram os investigadores. O atirador cometeu suicídio.

“De acordo com os dados preliminares, nove pessoas morreram neste crime, incluindo dois seguranças do estabelecimento escolar, dois professores e cinco menores de idade”, afirmou o Comitê de Investigação da Rússia.

Alguns minutos antes, o governador da região, Alexander Brechalov, anunciou em um discurso emocionado que entre as vítimas estavam crianças.

O ataque aconteceu na escola n°88 de Izhevsk. O governador afirmou que “uma pessoa não identificada” entrou no centro de ensino, matou um segurança e abriu fogo contra as crianças.

“A operação de retirada terminou e o perímetro está isolado”, disse Brechalov no vídeo divulgado no Telegram. Ele também informou que a Guarda Nacional da Rússia, o FSB (Serviço Federal de Segurança) e as autoridades responsáveis pela investigação estão no local.

Izhevsk é uma cidade de quase 650.000 habitantes, capital da república de Udmurtia, que fica na região central do país, ao oeste dos Montes Urais, que dividem a parte europeia da parte asiática da Rússia.

O fenômeno dos tiroteios era algo raro no país, em particular nas escolas, mas nos últimos anos se tornou mais frequente, a ponto de o presidente Vladimir Putin expressar preocupação e atribuir as causas a eventos importados dos Estados Unidos e ao efeito perverso da globalização.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo