Terraplanista morre ao tentar provar teoria a bordo de um foguete caseiro

Ideia de Hughes era alcançar 5 mil pés a bordo de um foguete caseiro e então fotografar a Terra, mas o equipamento caiu na Califórnia

Terraplanista morre ao tentar provar teoria a bordo de um foguete caseiro

Mundo

O terraplanista Michael “Mad Mike” Hughes, 64 anos, morreu no sábado 22 ao fazer um experimento caseiro para tentar provar a teoria de que a terra não é esférica, mas plana, semelhante a um frisbee. Ele sofreu um acidente com um foguete caseiro construído por ele, que caiu no deserto da Califórnia (EUA).

A ideia de Hughes para provar a teoria era alcançar a altura de 5 mil pés com o foguete movido a vapor pressurizado para então tirar foto da Terra. No entanto, o foguete caiu no deserto da Califórnia. Em março de 2018, ele havia conseguido atingir 1,8 mil pés.

 

A construção e lançamento faziam parte de um reality show do canal US Science Channel. De acordo com a divulgação oficial do canal, a série mostraria os esforços de três equipes para construir foguetes com orçamento reduzido de US$ 18 mil (R$ 79 mil).

O lançamento do foguete e a queda foram registrados em vídeo e divulgado nas redes sociais. A ação seria gravada para passar no Science Channel, de ciência, do grupo Discovery.

Nas imagens, é possível ver que, no momento do lançamento, o paraquedas que deveria ser usado na aterrisagem se solta da aeronave. Depois, o foguete some no céu para, em seguida, começar a cair até encontrar o chão.


O canal Discovery soltou uma nota de pesar: “Hughes morreu hoje tragicamente durante uma tentativa de lançar seu foguete caseiro. Nossos pensamentos e orações vão à sua família e a seus amigos neste momento difícil. Sempre foi seu sonho fazer esse lançamento e o Science Channel está lá para registrar sua jornada”.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem