Mundo

assine e leia

Sem trégua

Nem a guerra freia a especulação imobiliária em Kiev

Armadilha. Autoridades locais usam os danos causados por bombardeios como desculpa para desapropriar imóveis e remover os moradores de áreas centrais – Imagem: Ercin Erturk/Anadolu Agency/AFP
Apoie Siga-nos no

Cerca de uma hora depois que as sirenes de ataque aéreo tocaram na madrugada de 10 de agosto, os moradores da Rua Yaroslavska, no coração do badalado bairro de Podil, em Kiev, ouviram um prédio desabar. Alguns olharam pelas janelas, esperando ver os restos fumegantes de um míssil russo. Em vez disso, à luz do amanhecer, duas escavadeiras destruíam uma elegante mansão de 200 anos. Em poucas horas, a casa de 1811 virou um monte de escombros. Manifestantes reuniram-se na rua atacando os incorporadores e a prefeitura. “O que não foi destruído pelos foguetes russos está sendo demolido por nossas autoridades e construtoras”, dizia um cartaz.

A guerra não diminuiu o apetite por propriedades de alta qualidade em Kiev, nem conteve a corrida para obter terrenos baldios para construção. Os preços dos imóveis caíram apenas brevemente, quando as forças russas sitiaram a cidade na primavera passada, e depois se recuperaram quando as ruas voltaram à vida. A capital ucraniana tem extensas defesas aéreas e as linhas de frente estão distantes, por isso alguns residentes regressaram e ela se tornou novo lar para as pessoas que fogem dos combates mais a leste.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo