Mundo

Por que a embaixada do Brasil em Berlim vem sendo vandalizada?

No começo de janeiro o prédio já havia sido pichado com dizeres antifascistas

Entrada da embaixada do Brasil, em Berlim. Entrada da embaixada do Brasil, em Berlim.
Entrada da embaixada do Brasil, em Berlim. Entrada da embaixada do Brasil, em Berlim.

Um grupo de indivíduos encapuzados quebrou vidraças e lançou tinta contra a fachada da embaixada do Brasil em Berlim no início da manhã desta sexta-feira 1º. Esta foi a segunda vez no mês que o local é atacado.

A polícia informou que, por volta de 1 hora, guardas de segurança avisaram a polícia, relatando que ao menos quatro pessoas participaram da ação. Elas golpearam os vidros com objetos de ferro e pintaram a fachada com tinta rosa, provavelmente com ajuda de um extintor. Tinta preta também foi lançada contra uma das laterais do prédio.

Manchas e respingos também podiam ser vistos em outras áreas da entrada da embaixada, como no chão, em ao menos uma das colunas frontais e numa caixa metálica para depósito de correspondência. Ainda conforme a polícia, o ataque deixou 16 janelas quebradas.

Na manhã desta sexta, um carro da polícia foi visto diante da embaixada. Funcionários a embaixada se recusaram a dar informações à imprensa.

Os danos materiais podem chegar a 100 mil euros, afirmou o jornal local Berliner Zeitung.

“A Embaixada do Brasil em Berlim foi alvo de ato de vandalismo. As autoridades policiais foram imediatamente contatadas e estão investigando o ocorrido”, diz o curto comunicado publicado pela representação diplomática em sua página na internet.

A investigação do caso foi assumida pela Staatsschutz de Berlim, órgão encarregado de investigar delitos de motivação política.

Também será investigado se existe conexão com um ataque à sede berlinense da empresa varejista Amazon, também alvo de vandalismo, por meio de pedras e tinta, na mesma madrugada.

Histórico

No dia 5 de janeiro, as vidraças do andar térreo do prédio amanheceram pichadas com os dizeres “Lutaremos contra o fascismo no Brasil” em letras brancas. A fachada, o piso externo e colunas externas do edifício também foram pintadas com tinta vermelha.

Segundo reportagens veiculadas na mídia brasileira, fotografias do prédio circularam em grupos de Whatsapp, indicando que a pichação fora feita durante a madrugada de sexta-feira para sábado.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!