Mundo

assine e leia

O rato ruge

Em inferioridade tecnológica e numérica, os ucranianos prometem resistir à ameaça de Moscou

Protestos contra a Rússia em Kiev – Imagem: Sergei Supinsky/AFP
Protestos contra a Rússia em Kiev – Imagem: Sergei Supinsky/AFP
Apoie Siga-nos no

O clima nos últimos dias na Ucrânia era espantosamente calmo, apesar das conversas sobre a guerra. A primeira neve do inverno cobriu Kiev. Muitos moradores ainda comemoravam o Natal ortodoxo, celebrado em 7 de janeiro, ou tinham viajado durante o feriado. Bares e restaurantes tocavam Let It Snow, com Dean Martin, enquanto os pinheiros na Praça da Independência pareciam uma mini-Nárnia.

Claro, a Rússia poderia invadir a qualquer momento. Mas, como ressaltam os ucranianos cansados, o país está em guerra há oito longos anos, desde que Vladimir Putin anexou a Crimeia e provocou um conflito brutal no leste da nação, que já custou quase 14 mil vidas. O ciberataque na madrugada de sexta-feira 14 a sites do governo foi apenas o último de uma série de atos hostis. O que fazer no caso de uma operação militar de Moscou: ficar, fugir ou lutar? O consenso, ao menos segundo pesquisas, é de que um terço da população está pronta para pegar em armas. No bairro elegante de Podil, com mansões art ­déco, um novo grafite dizia: “Saiam, russos!”

Luke Harding

Luke Harding
Correspondente internacional do 'Guardian'

The Observer

The Observer
Fundado em 1791, é um semanário publicado sempre aos domingos no Reino Unido. Pertence ao mesmo grupo de mídia do reconhecido The Guardian.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.