Nova geração faz Samsung lançar TV vertical que imita tela de celular

Uma das novidades é que o aparelho - pela bagatela de 6.400 reais - poderá mostrar diretamente o que aparece na tela do smartphone

Nova geração faz Samsung lançar TV vertical que imita tela de celular

Mundo

O lançamento pela Samsung de uma TV que pode ser colocada em uma posição vertical promete revolucionar o mercado. A “The Sero”, com 43 polegadas, custa em torno de 6.400 reais. Uma das novidades é que o aparelho poderá mostrar diretamente o que aparece na tela do smartphone.

A nova TV, lançada no dia 29 de abril, foi projetada para a clientela de 20 a 30 anos, habituada a olhar as telas na posição vertical. Segundo o representante da empresa, Han Jong-hee, a televisão tem um significado diferente para as jovens gerações e o produto reflete os novos usos da tecnologia. A vantagem da Sero é que ela também pode ser virada para ser utilizada na horizontal além de se transformar em um porta-retratos digital.

A empresa sul-coreana tem apostado em produtos experimentais. Recentemente, a Samsung cancelou na última hora a venda de um celular com tela dobrável, o Samsung Galaxy Fold, por considerá-lo muito frágil. Os modelos de teste enviados para a imprensa quebraram em poucos dias, segundo o correspondente da RFI em Seul, Frédéric Ojardias.

Casa conectada

Os lançamentos da companhia sul-coreana, lembra a agência Bloomberg, seguem a lógica da futura “casa conectada”, uma grande aposta das empresas de tecnologia. A ideia da Samsung é unificar em um mesmo sistema todos os objetos da casa e criar eletrodomésticos inteligentes. Dois exemplos são o ar condicionado e o aspirador que poderiam ser controlados à distância.

A “casa conectada” será proposta aos clientes sul-coreanos a partir do mês de junho. O potencial do mercado dos objetos conectados é avaliado em 69 milhões de euros.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Rádio pública francesa que produz conteúdo em 18 línguas, inclusive português. Fundada em 1931, em Paris.

Compartilhar postagem