Meta atingida: Reino Unido já vacinou 15 milhões contra a Covid-19

Para conseguir o resultado, o governo mobilizou cientistas, médicos, enfermeiros, militares e milhares de voluntários

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson (Foto: Oli SCARFF / AFP)

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson (Foto: Oli SCARFF / AFP)

Mundo

Mais 15 milhões de vacinados contra a Covid-19 no Reino Unido, anunciou este domingo o ministro britânico encarregue da campanha de vacinação.

 

 

15,000,000! Equipa espantosa. Não descansaremos até que ofereçamos a vacina a toda a fase 1 às categorias 1-9 dos mais vulneráveis e a todos os com mais de 50 anos até ao final de Abril e depois a todos os adultos“, afirmou Nadhim Zahawi.

Um objectivo traçado pelo Governo que quando foi anunciado parecia ser demasiado ambicioso, acabou por se concretizar. Para atingir 15 milhões de vacinados até meio deste mês de Fevereiro, Londres mobilizou cientistas, médicos, enfermeiros, militares e milhares de voluntários.

Os 15 milhões de vacinados representam as quatro categorias de grupos prioritários indicados pelo executivo: idosos com mais de 70 anos, trabalhadores da linha da frente da saúde, funcionários e residentes em lares de idosos e pacientes vulneráveis. Quinze milhões de uma população total de 66 milhões.

Uma boa notícia para o primeiro-ministro Boris Johnson, a uma semana do anúncio do prometido “roteiro” para o desconfinamento progressivo. O executivo espera poder voltar a abrir as escolas a partir de 8 de Março e começar a aligeirar as restrições.

Desde o início da pandemia que o Reino Unido já registou 117.000 mortos e quatro milhões de casos positivos de infecção pelo novo coronavírus.

A partir de segunda-feira a vacinação vai alargar-se às pessoas com idades compreendidas entre os 65 – 69 anos.

Para impedir a importação de novos casos e novas variantes do vírus, a partir de amanhã entra em vigor o sistema de quarentena em hotel obrigatório para os residentes britânicos e irlandeses provenientes de 33 países considerados de risco, e cuja proveniência de não residente é proibida.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Rádio pública francesa que produz conteúdo em 18 línguas, inclusive português. Fundada em 1931, em Paris.

Compartilhar postagem