Mundo

Mais de 300 civis morrem em três meses de ataques aéreos na Etiópia, segundo a ONU

Situação dos direitos humanos na Etiópia ‘deteriorou-se significativamente’ desde o final de novembro, diz Michelle Bachelet

Meninas são vistas através de um vidro no complexo do Agda Hotel, na cidade de Semera, região de Afar, Etiópia. Foto: Eduardo Soteras/AFP
Meninas são vistas através de um vidro no complexo do Agda Hotel, na cidade de Semera, região de Afar, Etiópia. Foto: Eduardo Soteras/AFP
Apoie Siga-nos no

Pelo menos 304 civis foram mortos desde o final de novembro em uma série de ataques aéreos no norte da Etiópia, devastado pela guerra, principalmente na região de Tigré, disse o Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos nesta segunda-feira 7.

A situação dos direitos humanos e da segurança na Etiópia “deteriorou-se significativamente” desde o final de novembro, denunciou Michelle Bachelet em seu discurso perante o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas.

Bachelet disse que, entre 22 de novembro de 2021 e 28 de fevereiro deste ano, seu escritório “continuou a receber denúncias de violações graves e em larga escala dos direitos humanos no contexto da expansão do conflito nas regiões de Afar e Amhara, além do Tigré”.

Ela expressou preocupação particular com o grande número de ataques aéreos aparentemente realizados pela Força Aérea da Etiópia (ETAF), principalmente no Tigré, mas também em Afar.

O escritório de Bachelet registrou “304 mortes e 373 feridos devido ao bombardeio aéreo durante o período do relatório”, informou.

Bachelet destacou que ataques contra civis e infraestruturas civis também foram realizados por outras partes do conflito, inclusive pelas forças do Tigré e alertou para relatos de estupro e violência sexual.

O conflito no Tigré começou em novembro de 2020, depois que o primeiro-ministro Abiy Ahmed enviou tropas para derrubar o TPLF, o antigo partido no poder na região.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.