Maduro denuncia bloqueio de pagamento para transmissão dos Jogos de Tóquio na Venezuela

O governo venezuelano foi atingido por sanções internacionais dos Estados Unidos, que não reconhecem Maduro como presidente

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela. Foto: Prensa Presidencial

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela. Foto: Prensa Presidencial

Mundo

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, denunciou nesta quarta-feira 21 o bloqueio do pagamento que seu governo fez para adquirir os direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 no país.

 

 

“A Venezuela pagou os direitos de transmissão das Olimpíadas de Tóquio-2020 e agora a perseguição financeira aos bancos impede a comissão organizadora de coletar o dinheiro da Venezuela”, declarou Maduro à televisão estatal.

“Neste momento nosso ministro do Esporte, Mervin Maldonado, está em Tóquio gerenciando a liberação dos recursos” para que “a Venezuela possa receber a imagem televisiva, de satélite, da transmissão dos Jogos Olímpicos para que possa ser usufruída gratuitamente”, acrescentou.

O governo venezuelano foi atingido por sanções internacionais lideradas pelos Estados Unidos, que não reconhecem Maduro como presidente da Venezuela, depois que o mandatário foi reeleito em eleições questionadas em 2018.

Essas medidas dificultam o acesso ao sistema financeiro internacional. Já aconteceu com o bloqueio de parte do pagamento para acesso ao sistema Covax da Organização Mundial da Saúde para a compra de vacinas contra a Covid-19.

É uma “perseguição bancária e financeira contra o direito dos venezuelanos de receber o sinal das Olimpíadas de Tóquio por causa do compromisso imperial dos Estados Unidos de perseguir todas as contas da Venezuela”, afirmou Maduro.

O governo negociou o pagamento de 2,5 milhões de dólares pelos direitos limitados de transmissão dos Jogos no canal estatal TVES, informaram à AFP fontes familiarizadas com a negociação no Japão.

Os Jogos Olímpicos mais atípicos da história serão disputados de 23 de julho a 8 de agosto, embora os torneios de softbol e futebol feminino já tenham começado.

A Venezuela, atolada na pior crise econômica de sua história moderna, chega com uma delegação de 43 atletas e aposta na vitória de atletas como Yulimar Rojas, múltipla campeão mundial no salto triplo.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem