Mundo

Líder indígena ambientalista é assassinado na Amazônia peruana

A vítima era um dos principais defensores ambientalistas da região de San Martín e havia recebido ameaças de morte este ano

Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

Um líder ambientalista indígena que luta contra a depredação na Amazônia foi morto a tiros na floresta do norte do Peru, informou o Governo nesta quinta-feira (30).

“Lamentamos profundamente a morte de Quinto Inuma, chefe da comunidade indígena Kichwa Santa Rosillo de Yanayacu, na região de San Martín, em consequência de um ataque covarde do qual foi vítima”, indicou o Ministério da Cultura.

A vítima era um dos principais defensores ambientalistas da região de San Martín e havia recebido ameaças de morte este ano.

O defensor ambiental foi baleado três vezes por desconhecidos na tarde de quarta-feira, quando voltava com a família para sua comunidade, após participar de uma atividade na cidade vizinha de Pucallpa.

A Polícia peruana enviou um helicóptero e agentes para iniciar as investigações do caso, segundo as autoridades.

A Associação Interétnica para o Desenvolvimento da Selva Peruana (Aidesep) condenou o assassinato e exigiu a prisão dos responsáveis.

O líder indígena ficou conhecido por se opor às ações criminosas de madeireiros ilegais que depredam as florestas e os ecossistemas da Amazônia.

Os crimes contra os defensores ambientais nativos multiplicaram-se nos últimos anos nessa extensa e remota área florestal do Peru, onde a presença do Estado é quase inexistente, e geralmente ficam impunes.

Em abril, um líder indígena conhecido por rejeitar a plantação de coca foi morto a tiros na floresta central do Peru.

Segundo a Coordenadora Nacional de Direitos Humanos, pelo menos 30 assassinatos foram cometidos contra defensores ambientais e lideranças sociais desde o início da pandemia de Covid-19.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo