…

Japão vai comprar ilhas reivindicadas pela China

Mundo

TÓQUIO (AFP) – O governo do Japão decidiu comprar as ilhas Senkaku, um arquipélago no Mar da China reivindicado por Pequim, anunciou o porta-voz de Tóquio. “Durante uma reunião ministerial, decidimos virar proprietários das três ilhas Senkaku o mais rápido possível”, declarou o porta-voz Osamu Fujimura, usando o nome japonês deste pequeno arquipélago que Pequim chama de Diaoyu.

Fujimura informou que o governo fechou na sexta-feira um acordo com os proprietários, uma família privada japonesa, mas não quis revelar o preço da aquisição. Segundo a imprensa, o valor da transação seria de 2,05 bilhões de ienes (26,1 milhões de dólares).

A decisão de comprar as ilhas, que formalmente pertencem a integrantes da guarda costeira japonesa, pretende garantir “a preservação da tranquilidade e estabilidade”, afirmou o porta-voz.

Este grupo de ilhas sem habitantes, 2.000 km ao sudoeste de Tóquio e 200 km ao nordeste das costas de Taiwan, que também reivindica o arquipélago, é um dos principais fatores da tensão entre Japão e China.

No sábado, Pequim advertiu mais uma vez, formalmente, a Tóquio que não desistirá da reivindicação. Em agosto, ativistas chineses desembarcaram em uma das ilhas e foram rapidamente detidos. Em seguida foram expulsos. Poucos dias depois, nacionalistas japoneses chegaram ao mesmo local com uma bandeira do país. A ação provocou manifestações antijaponesas em mais de 20 cidades da China.

Leia mais em AFP Móvel

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem
…

Japão vai comprar ilhas reivindicadas pela China

Mundo

TÓQUIO (AFP) – O governo do Japão decidiu comprar as ilhas Senkaku, um arquipélago no Mar da China reivindicado por Pequim, anunciou o porta-voz de Tóquio. “Durante uma reunião ministerial, decidimos virar proprietários das três ilhas Senkaku o mais rápido possível”, declarou o porta-voz Osamu Fujimura, usando o nome japonês deste pequeno arquipélago que Pequim chama de Diaoyu.

Fujimura informou que o governo fechou na sexta-feira um acordo com os proprietários, uma família privada japonesa, mas não quis revelar o preço da aquisição. Segundo a imprensa, o valor da transação seria de 2,05 bilhões de ienes (26,1 milhões de dólares).

A decisão de comprar as ilhas, que formalmente pertencem a integrantes da guarda costeira japonesa, pretende garantir “a preservação da tranquilidade e estabilidade”, afirmou o porta-voz.

Este grupo de ilhas sem habitantes, 2.000 km ao sudoeste de Tóquio e 200 km ao nordeste das costas de Taiwan, que também reivindica o arquipélago, é um dos principais fatores da tensão entre Japão e China.

No sábado, Pequim advertiu mais uma vez, formalmente, a Tóquio que não desistirá da reivindicação. Em agosto, ativistas chineses desembarcaram em uma das ilhas e foram rapidamente detidos. Em seguida foram expulsos. Poucos dias depois, nacionalistas japoneses chegaram ao mesmo local com uma bandeira do país. A ação provocou manifestações antijaponesas em mais de 20 cidades da China.

Leia mais em AFP Móvel

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem