Italianos cantam das janelas de casa durante quarentena do coronavírus

Epicentro da epidemia e o país mais atingido da Europa, Itália tem 13 mil pessoas contaminadas e mais de mil mortes por coronavírus

Créditos: Andreas SOLARO / AFP

Créditos: Andreas SOLARO / AFP

Mundo

Sem poder se reunir em bares, restaurantes ou para assistir aos jogos de futebol, os italianos foram para suas varandas cantar e tocar música para animar a vizinhança no quarto dia de quarentena nacional por conta do coronavírus.

Com 13 mil pessoas contaminadas no país, hospitais lotados e um balanço de mortes que já passou de mil e não para de crescer, a Itália é o país mais atingido da Europa, o novo epicentro da epidemia, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Para reagir a esse cenário desolador e dar forças aos compatriotas, os italianos foram chamados nas redes sociais a tocarem música pelas janelas às 18h da sexta-feira 13 a fim de que “durante alguns minutos o país fosse um imenso concerto”.

Nos últimos dias, já eram compartilhados nas redes sociais vídeos em algumas cidades com pessoas cantando de suas varandas, retomando a ação dos chineses que gritavam mensagens de apoio de suas janelas durante a quarentena na China.

Com o chamado, as redes sociais foram tomadas na sexta por uma enxurrada de vídeos musicais com as hashtags #tuttoandrabene (Tudo vai ficar bem) e #iorestoacasa (Eu fico em casa). Diversa, a “playlist” tinha pessoas tocando o hino italiano, Fratelli d’Italia, a tradicional tarantela e até mesmo rocks ingleses.

 

 

Em sua conta no Instagram, o cantor Andrea Sannino publicou uma compilação de imagens de napolitanos cantando sua canção Abbracciame (“Beije me”) e agradeceu: “Um dia vou contar isso para meus filhos e netos.” “Obrigado por me fazer chorar aos soluços.”

Diante do sucesso, um novo “concerto” já foi marcado. Neste sábado, no mesmo horário, os italianos são chamados a voltarem a suas janelas.

Enquanto o país enfrenta a crise com todos o comércio não essencial fechado e eventos esportivos e culturais suspensos, artistas prometeram concertos virtuais para este período duro. Alguns museus, como o Uffizi em Florença ou o Guggenheim em Veneza, colocaram sua coleção on-line.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Rádio pública francesa que produz conteúdo em 18 línguas, inclusive português. Fundada em 1931, em Paris.

Compartilhar postagem