Governo alemão anulará restrições que seriam impostas em abril

As críticas à decisão de endurecer as medidas de restrição vieram inclusive de integrantes do governo de Angela Merkel

Premiê alemã, Angela Merkel (Foto: John MACDOUGALL / AFP)

Premiê alemã, Angela Merkel (Foto: John MACDOUGALL / AFP)

Mundo

O governo da chanceler Angela Merkel desistiu de impor restrições anticovid reforçadas para o feriado da Semana Santa, após as críticas recebidas por medidas que incluíam o fechamento de lojas e cerimônias religiosas organizadas por videoconferência, informaram nesta quarta-feira 24 fontes governamentais.

 

 

A chanceler e os 16 estados regionais, que anunciaram o dispositivo na segunda-feira após mais de 12 horas de discussões, tinham uma reunião programada para esta quarta-feira para novas negociações sobre o tema.

“A chanceler convocou os ministros presidentes (dos estados regionais) com pouca antecedência para hoje às 11h00 e acredito que falaremos de maneira muito crítica sobre o que aconteceu há dois dias”, declarou Armin Laschet em uma reunião do Parlamento do estado de Renânia do Norte-Westfalia.

As críticas à decisão de endurecer as medidas de restrição vieram inclusive de integrantes do governo.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem