Mundo

França e Reino Unido convocam embaixadores de Israel para explicações

Os embaixadores tiveram que explicar o anúncio da construção de novas colônias na Cisjordânia e em Jerusalém, um dia após a Palestina ter conquistado o status de Estado observador não membro da ONU

Apoie Siga-nos no

PARIS (AFP) – Os embaixadores de Israel na França e no Reino Unido foram convocados nesta segunda-feira 3 para falar sobre o projeto de novas colônias israelenses em Jerusalém e na Cisjordânia.

A embaixada de Israel na França comunicou que seu embaixador, Yossi Gal, foi convocado pelo ministério francês das Relações Exteriores. O ministério francês, porém, não confirmou a informação, mas destacou que estava estudando os meios de “marcar a desaprovação” ao projeto.

Já no Reino Unido, o embaixador israelense, Daniel Taub, foi convocado em Londres para apresentar explicações sobre o projeto anunciado na sexta-feira de construção de 3 mil casas em Jerusalém Leste e na Cisjordânia. Taub foi convocado para uma reunião no Foreign Office com o secretário de Estado para o Oriente Médio, Alistair Burt.

Israel anunciou o projeto  de construção de 3 mil moradias na sexta-feira 30, um dia depois da Assembleia Geral da ONU ter concedido à Palestina o status de Estado observador não membro. Esta, no entanto, não foi a única retaliação do governo de Israel. No domingo 2, o ministro das Finanças, Yuval Steinitz, informou que Israel não irá mais transferir para os palestinos os fundos arrecadados no mês de dezembro com impostos.

Leia mais em AFP Movel.

PARIS (AFP) – Os embaixadores de Israel na França e no Reino Unido foram convocados nesta segunda-feira 3 para falar sobre o projeto de novas colônias israelenses em Jerusalém e na Cisjordânia.

A embaixada de Israel na França comunicou que seu embaixador, Yossi Gal, foi convocado pelo ministério francês das Relações Exteriores. O ministério francês, porém, não confirmou a informação, mas destacou que estava estudando os meios de “marcar a desaprovação” ao projeto.

Já no Reino Unido, o embaixador israelense, Daniel Taub, foi convocado em Londres para apresentar explicações sobre o projeto anunciado na sexta-feira de construção de 3 mil casas em Jerusalém Leste e na Cisjordânia. Taub foi convocado para uma reunião no Foreign Office com o secretário de Estado para o Oriente Médio, Alistair Burt.

Israel anunciou o projeto  de construção de 3 mil moradias na sexta-feira 30, um dia depois da Assembleia Geral da ONU ter concedido à Palestina o status de Estado observador não membro. Esta, no entanto, não foi a única retaliação do governo de Israel. No domingo 2, o ministro das Finanças, Yuval Steinitz, informou que Israel não irá mais transferir para os palestinos os fundos arrecadados no mês de dezembro com impostos.

Leia mais em AFP Movel.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.