Fox News é processada novamente por falsas acusações de fraude eleitoral

'A Fox decidiu atrair telespectadores culpando de forma intencional e falsa a Dominion pela derrota de Trump', diz empresa

O ex-presidente dos EUA Donald Trump. Foto: AFP

O ex-presidente dos EUA Donald Trump. Foto: AFP

Mundo

A Dominion, uma fabricante de máquinas de votação, pediu mais de 1,6 bilhão de dólares em um processo aberto nesta sexta-feira 26 contra a Fox News, alegando que o canal exibiu falsas alegações de que seus equipamentos foram usados para fraudar a eleição de 2020 nos Estados Unidos, em que Donald Trump foi derrotado.

 

 

Essa é a segunda denúncia por difamação contra a rede de notícias conservadora, que já foi processada em fevereiro por motivos semelhantes por outra empresa de sistemas eleitorais, a Smartmatic.

A Dominion afirma que a Fox começou a apoiar as falsas alegações de Trump de que a eleição foi fraudada a favor de Joe Biden porque o canal estava perdendo audiência, já que seu público é composto em grande parte por seguidores do ex-presidente.

“A Fox decidiu atrair telespectadores, incluindo o próprio presidente Trump, culpando de forma intencional e falsa a Dominion pela derrota do presidente”, argumenta a empresa em seu comunicado.

A companhia foi ridicularizada na internet e na mídia conservadora, forçando-a a defender repetidamente sua reputação, embora não houvesse quaisquer evidências de erros na contagem de votos.

Dezenas de decisões estaduais e federais, assim como do Congresso dos Estados Unidos, rejeitaram essas acusações.

A Dominion também processou o advogado de Trump e ex-prefeito de Nova York, Rudy Giuliani, e outro advogado do ex-presidente, Sidney Powell. Na ação de 139 páginas apresentada nesta sexta no estado de Delaware, a empresa acusa a Fox News de divulgar sobre ela “ficções mirabolantes, difamatórias e absurdas”.

“A Fox pegou uma pequena chama e a transformou em um incêndio florestal”, afirma. “A Fox deu a essas ficções um destaque que nunca teria sido alcançado de outra forma.”

A Dominion reivindica mais de 1,6 bilhão de dólares em indenização por seus prejuízos, sendo 1 bilhão pela perda de valor da companhia e  600 milhões pela perda de rendimentos.

Em nota, a Fox defendeu seu trabalho nas eleições. “A Fox News Media se orgulha de sua cobertura das eleições de 2020, que seguiu a mais alta tradição do jornalismo americano, e se defenderá vigorosamente diante dos tribunais nesse processo sem fundamento”, disse.

O canal também apontou que exibiu uma entrevista no final de novembro de 2020 com o representante da Dominion, Michael Steel, na qual ele explicou como as máquinas funcionam e descartou as acusações de fraude, que descreveu como “fisicamente impossíveis”.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem