Mundo

assine e leia

Fim de uma era

A controversa Estação Espacial Internacional, há 25 anos em órbita, será desativada

A estação tornou-se obsoleta – Imagem: iStockphoto
Apoie Siga-nos no

A Estação Espacial Internacional está prestes a ultrapassar um marco notável. Em novembro, fará um quarto de século que a enorme nave espacial voa na órbita do nosso planeta. Nesses 25 anos, centenas de astronautas a transformaram em lar temporário, enquanto outros visitantes incluí­ram sapos, vermes, mariscos e borboletas: cada um deles foi objeto de experiências destinadas a descobrir os efeitos da falta de peso, da radiação e de outros fenômenos extraterrestres nas criaturas vivas. Além disso, os astronautas realizaram estudos sobre a matéria escura, os raios cósmicos e as camadas de ozônio da Terra.

Agora, os dias desse gigante de 100 metros de comprimento, que começaram em 20 de novembro de 1998, quando seu primeiro segmento, o módulo russo Zarya, foi colocado em órbita, estão contados. A estação opera há uma década a mais do que o planejado e sofre cada vez mais vazamentos de ar, falhas nos propulsores e outros acidentes que se intensificam à medida que é aquecida e resfriada 16 vezes por dia, enquanto gira ao redor da Terra a 28 mil quilômetros por hora. As vibrações das ancoragens das naves espaciais e dos movimentos da tripulação só aumentam esses problemas, bem como seus equipamentos envelhecidos, quase obsoletos.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.