Festival de Glastonbury é cancelado pelo segundo ano devido à pandemia

'Apesar dos nossos esforços parar mover céus e terra, ficou claro que não poderemos organizar o festival', disseram os realizadores

Pandemia motiva cancelamento do Festival de Glastonbury em 2021. Foto: Oli Scarff/AFP

Pandemia motiva cancelamento do Festival de Glastonbury em 2021. Foto: Oli Scarff/AFP

Cultura,Mundo

O festival de música de Glastonbury, que todo verão recebe mais de 200 mil espectadores em seus prados transformados em cenários ao ar livre, foi cancelado pelo segundo ano consecutivo devido à pandemia, anunciaram seus organizadores nesta quinta-feira 21.

 

 

“Apesar dos nossos esforços parar mover céus e terra, ficou claro que simplesmente não poderemos organizar o festival este ano”, lamentaram Michael e Emily Eavis em um comunicado divulgado no Twitter.

Um dos maiores festivais de música do mundo, Glastonbury já havia cancelado em 2020 sua 50ª edição, prevista para junho do ano passado, devido ao coronavírus.

Taylor Swift, Paul McCartney, Kendrick Lamar e Diana Ross estavam programados naquela ocasião para cantar junto com dezenas de outros artistas em um evento que colabora com ONGs como Oxfam, Wateraid e Greenpeace.

Assim como o ano passado, os espectadores que pagaram poderão anticipar para reservar as muito cobiçadas entradas, na possibilidade de guardá-las para a edição de 2022, na qual os organizadores prometeram algo “muito especial”.

País mais castigado da Europa pela pandemia, com mais de 93 mil mortes confirmadas por Covid-19, o Reino Unido viu sua potente indústria musical colapsar devido aos confinamentos sucessivos e à proibição de organizar grandes eventos.

O setor, que em 2019 contribuiu para a economia britânica com 5,8 bilhões de libras (7,7 bilhões de dólares, 6,5 bilhões de euros), viu a temporada 2020 “varrida” pelo vírus, segundo um relatório da associação setorial UK Music publicado no início do mês. E enfrenta “uma ameaça real de que grande parte da temporada 2021” tenha o mesmo destino, acrescentou.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem