Mundo

Explosão perto de mesquita em Cabul, no Afeganistão, deixa mortos

Funeral da mãe do porta-voz do taleban, Zabihullah Mujahid, era realizado no local

Um membro do taleban
Foto: BULENT KILIC/AFP
Um membro do taleban Foto: BULENT KILIC/AFP

Ao menos dois civis morreram neste domingo e três ficaram feridos em uma explosão perto da mesquita Id Gah, em Cabul, no Afeganistão, informou o porta-voz do ministério do Interior, Qari Sayed Khosti.

Alguns minutos antes, o porta-voz do governo, Zabihullah Mujahid, tuitou: “Uma explosão teve como alvo durante a tarde uma reunião de civis perto da entrada da mesquita Id Gah em Cabul e matou várias pessoas”.

No momento da explosão, a mesquita, a segunda mais importante da cidade, organizava uma oração em memória da mãe de Mujahid.

“De acordo com a informação que recebemos, dois civis morreram e três ficaram feridos na explosão”, declarou à AFP Qari Sayed Khosti.

No sábado, os talebans anunciaram em um comunicado que durante o domingo à tarde uma oração seria celebrada na mesquita em homenagem à mãe de Mujahid.

Ahmadullah, um comerciante com loja perto da mesquita, disse à AFP que “ouviu o barulho de uma explosão seguida por tiros”.

“Pouco antes da explosão, os talibãs haviam bloqueado a estrada para a oração pela mãe de Zabihullah Mujahid na mesquita”, acrescentou a testemunha.

Em 26 de agosto, ao menos 72 pessoas morreram e mais de 150 ficaram feridas em um atentado no aeroporto de Cabul reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

Com o nome de EI-K (Estado Islâmico da província de Khorasan), o EI reivindicou alguns dos atentados mais violentos cometidos nos últimos anos no Afeganistão e é grande inimigo do taleban.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!