Evo Morales é recebido na Argentina após deixar exílio no México

Ex-presidente boliviano entra no país na condição de asilado e depois passará a ter a de refugiado

Justiça boliviana rejeita demanda para inabilitar partido de Evo Morales. (Foto: CLAUDIO CRUZ / AFP)

Justiça boliviana rejeita demanda para inabilitar partido de Evo Morales. (Foto: CLAUDIO CRUZ / AFP)

Mundo

O ex-presidente boliviano Evo Morales chegou nesta quinta-feira 12 a Buenos Aires, procedente de Cuba, e ficará na Argentina, onde terá a condição de refugiado, anunciou o novo chanceler do país, Felipe Solá.

“Morales aterrissou em Ezeiza. Vem para ficar na Argentina, porque entra na condição de asilado e depois passará a ter a de refugiado”, declarou ao canal de notícias TN.

O chanceler afirmou que o ex-presidente “se sente mais confortável aqui (na Argentina) do que no México”.

Morales chegou a Buenos Aires com o ex-vice-presidente Álvaro García Linera, a ex-ministra Gabriela Montaño e o ex-embaixador da Bolívia na OEA, que também estavam asilados no México.

Não há qualquer encontro nesta quinta-feira de Morales com o presidente da Argentina, Alberto Fernández, segundo o chanceler argentino, que não informou em qual cidade do país o boliviano viverá.

O ex-presidente era uma das personalidades convidadas por Fernández para sua cerimônia de posse, mas chegou dois dias depois, encontrando seus dois filhos, que já estavam em território argentino.

Morales renunciou no dia 10 de novembro após perder apoio das Forças Armadas em meio a fortes protestos sociais gerados por sua tentativa de permanecer no poder pelo quarto mandato consecutivo. As últimas eleições foram consideradas fraudulentas pela missão de observadores da OEA.

O ex-presidente inicialmente recebeu asilo no México, de onde denunciou ter sofrido um “golpe de Estado”.

Fernández colaborou com a operação para tirar o ex-presidente da Bolívia e viabilizar sua chegada ao México.

“Não reconhecemos o governo da Bolívia (de transição de Jeanine Añez), mas fazemos votos e tentaremos não atrapalhar, e, sim, ajudar para que haja eleições o quanto antes”, declarou nesta quinta-feira o chanceler argentino.

A Bolívia tem “um governo de fato”, acrescentou, admitindo que este “pode ter o apoio de parte da sociedade”.

Os filhos de Morales, Evaliz e Alvaro, estão desde o dia 23 de novembro na Argentina, onde vive a maior comunidade boliviana fora do país.

Após chegarem em Buenos Aires, os filhos de Evo Morales receberam a visita de Alberto Fernández, que assumiu o governo na última terça-feira 10.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem