EUA enviam dois milhões de doses de hidroxicloroquina ao Brasil para tratar a Covid-19

Ajuda de Trump ocorre dias depois de a OMS suspender testes da substância para pacientes com coronavírus

Foto: Agência Brasil

Foto: Agência Brasil

Mundo

Os Estados Unidos enviaram dois milhões de doses de hidroxicloroquina ao Brasil, anunciou a Casa Branca neste domingo 31.  “Os povos americano e brasileiro estão em solidariedade na luta contra o coronavírus. Hoje, como prova dessa solidariedade, anunciamos que o governo dos EUA enviou dois milhões de doses de hidroxicloroquina ao povo do Brasil”, afirmou a presidência dos EUA em comunicado.

A hidroxicloroquina “será usada como profilática para proteger enfermeiros, médicos e profissionais de saúde no Brasil do vírus. Também terá um uso terapêutico para tratar brasileiros infectados”, acrescentou.

O presidente dos EUA, Donald Trump, que expressou sua proximidade com seu colega brasileiro, Jair Bolsonaro, intensificou a efervescência em torno da hidroxicloroquina quando anunciou dias atrás que começou a tomá-la diariamente, como medida preventiva, apesar das recomendações das autoridades sanitárias americanas.

Bolsonaro, por sua vez, está convencido dos efeitos da hidroxicloroquina, a ponto de, na semana passada, o Ministério da Saúde do Brasil recomendar seu uso para todos os pacientes de COVID-19, inclusive casos leves.

A hidroxicloroquina é utilizada há muito tempo contra a malária, mas sua eficácia eventual contra o novo coronavírus até agora não foi demonstrada por nenhum estudo rigoroso.

Vários ensaios clínicos foram suspensos em todo o mundo e alguns países, incluindo a França, proibiram o uso de hidroxicloroquina no tratamento da COVID-19.

A Casa Branca também indicou que os Estados Unidos enviarão em breve 1.000 respiradores para o Brasil como parte da luta contra a COVID-19.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem