Educação

Estudantes manifestam-se no Chile por melhorias no sistema de ensino

Durante a marcha, que ocorreu em grande parte de forma pacífica, um grupo de encapuzados atearam fogo em um ônibus

Os estudantes marcham para exigir ao governo melhorias no sistema educacional em Santiago - Foto: Martin BERNETTI / AFP
Apoie Siga-nos no

Mil estudantes do ensino fundamental participaram nesta sexta-feira de uma passeata na capital chilena para exigir melhorias no sistema de ensino. Durante a manifestação, manifestantes encapuzados incendiaram um ônibus.

Os estudantes se reuniram na Avenida Alameda, principal artéria de Santiago, vestidos com seus uniformes escolares e mochilas, e manifestaram queixas contra o ensino público, alvo de críticas nas últimas décadas no Chile. Os estudantes reclamam da má alimentação e da infraestrutura ruim das escolas públicas.

O governo do presidente Gabriel Boric, ex-líder estudantil, que prometeu melhorias nas instituições públicas de ensino, recebeu os estudantes para ouvir suas demandas.

Episódio de violência

Foto: Martin BERNETTI/AFP

Durante a marcha, que ocorreu em grande parte de forma pacífica, houve um episódio de violência, quando um grupo de encapuzados se afastou para parar um ônibus, removeu à força o motorista e os passageiros, quebrou janelas do veículo e ateou fogo ao mesmo. A polícia controlou o fogo e forças especiais reprimiram alguns estudantes.

Esse foi o terceiro ônibus incendiado durante um protesto estudantil nesta semana. Os alunos protagonizaram uma dezena de manifestações exigindo melhorias no sistema de ensino desde que Boric, 36, assumiu o cargo, em 11 de março.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.