Espanha registra 832 mortes por coronavírus em 24 horas, novo recorde diário

O total de óbitos no país chega a 5.690, o segundo maior balanço do mundo

Mundo

O ministério espanhol da Saúde anunciou, neste sábado 28,  que 832 pessoas morreram nas últimas 24 horas vítimas do coronavírus, um novo recorde diário no país, que eleva o total de óbitos a 5.690, o segundo maior balanço do mundo.

A Espanha é atualmente o segundo país do mundo com o maior número de mortes provocadas pelo coronavírus, atrás apenas da Itália, que na sexta-feira anunciou um total de 9.134 mortos.

Apesar do recorde de vítimas fatais registrado neste sábado, o percentual de aumento está em queda na Espanha desde quarta-feira, quando atingiu um vertiginoso 27%.

A Espanha também registrou mais 8.189 contágios confirmados de coronavírus, o que eleva o número de casos oficialmente diagnosticados a 72.248, com um aumento percentual que também mostra uma tendência de baixa.

O número de pessoas curadas também registrou forte alta, como nos últimos dias (31,3% em 24 horas) e agora são 12.285, de acordo com o boletim diário divulgado pelo ministério da Saúde.

As regiões mais afetadas são Madri, com 2.757 mortos, quase metade do total, e Catalunha, com 1.070 vítimas fatais.

A taxa de mortalidade em Madri é tamanha que a partir de segunda-feira a cidade habilitará um segundo necrotério em uma instalação pública que estava abandonada. O governo local já havia instalado um necrotério em uma pista de patinação de um centro comercial.

Além disso, o exército e as autoridades locais criaram um hospital de campanha com capacidade máxima para 5.500 leitos no Ifema, um grande centro de convenções da capital espanhola.

Para prevenir a propagação da doença, a população espanhola completa neste sábado duas semanas de confinamento, que deve prosseguir no mínimo até 11 de abril.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem