Mundo

Coreia do Norte reporta seis mortes e 187.000 ‘isolados e tratados’ por febre

O anúncio acontece um dia após ter sido declarado o primeiro surto de Covid-19 no país desde o início da pandemia

Foto: AFP
Foto: AFP
Apoie Siga-nos no

A imprensa estatal da Coreia do Norte reportou nesta sexta-feira 13 (noite da quinta 12 no Brasil) que 187.000 pessoas estão “isoladas e tratadas” com febre e que seis morreram, um dia após ter sido declarado o primeiro surto de Covid-19 no país desde o início da pandemia.

“Uma febre, cuja causa não pôde ser identificada, se espalhou de forma explosiva por toda a nação desde o fim de abril”, noticiou a agência oficial KCNA.

“Até 187.800 pessoas estão isoladas e tratadas”, acrescentou o veículo, destacando que seis doentes morreram, um deles após testar positivo para a Covid.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.