Mundo

Conselho de Segurança agenda votação sobre adesão da Palestina à ONU

A votação será nesta quinta-feira e coincidirá com uma reunião do Conselho de Segurança agendada para discutir a situação em Gaza

Protestos pró-Palestina se espalham pelo mundo. Na foto, alemães demonstram apoio e condenam ataques de Israel em Gaza. Foto: JOHN MACDOUGALL / AFP
Apoie Siga-nos no

O Conselho de Segurança da ONU se pronunciará na quinta-feira sobre o pedido da Palestina de adesão plena às Nações Unidas, indicaram várias fontes diplomáticas à AFP nesta terça-feira (16).

Em meio à ofensiva militar de Israel em Gaza, os palestinos reviveram no início de abril uma candidatura à adesão que haviam apresentado pela primeira vez ao órgão mundial em 2011, embora os Estados Unidos, com poder de veto, tenham expressado repetidamente oposição à proposta.

A Assembleia Geral pode admitir um novo Estado membro com uma votação de dois terços da maioria, mas somente depois que o Conselho de Segurança der sua recomendação.

O bloco regional Grupo Árabe emitiu uma declaração nesta terça-feira afirmando seu “apoio inabalável” à candidatura dos palestinos.

“A adesão às Nações Unidas é um passo crucial na direção certa para uma resolução justa e duradoura da questão palestina em conformidade com o direito internacional e as relevantes resoluções da ONU”, dizia a declaração.

A Argélia, membro não permanente do Conselho de Segurança, redigiu a resolução que “recomenda” à Assembleia Geral “que o Estado da Palestina seja admitido como membro das Nações Unidas”.

A votação de quinta-feira coincidirá com uma reunião do Conselho de Segurança agendada várias semanas atrás para discutir a situação em Gaza, à qual se espera a presença de ministros de vários países árabes.

Os palestinos, que têm status de observador nas Nações Unidas desde 2012, têm feito lobby há anos para obter a adesão plena.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo