Congressistas dos EUA pedem acusação contra Steve Bannon por desacato à comissão

Se for condenado, Bannon pode enfrentar até um ano de prisão, embora seja mais provável que pague uma multa

Steve Bannon, ex-assessor de Trump

Steve Bannon, ex-assessor de Trump

Mundo

Os legisladores que investigam o ataque mortal ao Capitólio dos Estados Unidos se manifestaram unanimemente na terça-feira (19) a favor de solicitar acusações penais por desacato criminal contra Steve Bannon, ex-assessor de Donald Trump, por negar-se a participar das investigações.

“O Sr. Bannon colaborará com nossa investigação ou enfrentará as consequências”, advertiu o democrata Bennie Thompson, que está à frente da comissão bipartidária encarregada de investigar os ataques de 6 de janeiro à sede do Congresso, criticada por Trump e seus aliados.

“Não podemos permitir que ninguém interfira no trabalho da comissão especial enquanto trabalhamos para esclarecer os fatos. Simplesmente há muito em jogo”, acrescentou ele ante da votação unânime dos nove membros (sete democratas e dois republicanos) a favor da imputação de Bannon.

Steve Bannon, ex-assessor da Casa Branca, não atendeu à convocação para comparecer na terça-feira ao comitê especial da Câmara dos Representantes que investiga o papel do ex-presidente republicano no atentado de seus apoiadores contra a sede do Congresso, enquanto os legisladores certificavam a vitória de Joe Biden na eleição presidencial.

O assessor político de direita disse ao painel que reteria depoimentos e documentos até que seja resolvido o apelo de Trump por “privilégio executivo”, que permite que os presidentes mantenham certas conversas com assessores em segredo

“O senhor Bannon não tem o direito de ignorar a intimação legal da comissão”, disse a congressista Liz Cheney, vice-presidente da comissão e uma as duas republicanas que a integram.

A decisão da comissão abre caminho para que o plenário da Câmara dos Representantes, de maioria democrata, vote sobre se deve encaminhar o caso Bannon ao Departamento de Justiça para uma decisão sobre uma acusação.

A votação acontecerá na quinta-feira, informou o líder da maioria democrata, Steny Hoyer.

Bannon, de 67 anos, foi um dos maiores articuladores da campanha presidencial vitoriosa de Trump em 2016, até ser afastado pelo bilionário.

Embora não estivesse ocupando nenhum cargo oficial em 6 de janeiro, ele aparentemente conversou sobre o protesto com o presidente nos dias que antecederam o ataque, segundo a comissão.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem