…

Com saída da UE, milhares de britânicos querem se tornar irlandeses

Mundo

A menos de três meses da saída do Reino Unido da União Europeia, mais e mais britânicos estão solicitando passaportes irlandeses. Com um total de mais de 183.000 pedidos, o número acumulado em 2018 atingiu um novo recorde, informou o Departamento de Estado Irlandês na segunda-feira 31. Cerca de 84.850 desses pedidos foram apresentados na Irlanda do Norte, que faz parte do Reino Unido, 2% a mais do que no ano anterior. No restante do Reino Unido, foram 98.500 pedidos – um aumento de 22% em relação ao ano passado.

Em 2017, o número de pedidos de cidadania irlandesa apresentados na Irlanda do Norte e no Reino Unido combinados já havia registrado um aumento de 20% em relação a 2016, o ano em que o Brexit  foi aprovado em referendo.

Qualquer pessoa nascida na Irlanda ou Irlanda do Norte ou cujos pais ou avós sejam originários da Irlanda pode solicitar um passaporte irlandês. O ministro das Relações Exteriores da Irlanda, Simon Coveney, mostrou satisfação com o aumento no número de pedidos. “O passaporte irlandês é um documento valioso”, disse ele.

O Reino Unido deve deixar a União Europeia no final de março de 2019, segundo o resultado do referendo do Brexit em 2016. Não está claro se o parlamento em Londres ainda vai conseguir aprovar o acordo de saída negociado pela primeira-ministra Theresa May com a UE. Caso a saída ocorra sem aprovação de um acordo, existe a possibilidade de um Brexit “duro”, que pode ter consequências caóticas.

Leia também: Londres pode cancelar Brexit, decide corte europeia

Na Alemanha, o número de britânicos naturalizados aumentou de maneira acentuada recentemente. Cerca de 7.493 britânicos solicitaram um passaporte alemão em 2017 – o maior número já registrado. A maioria dos solicitantes eram descentes de pessoas que fugiram para o Reino Unido durante o regime nazista. Para se naturalizar, elas contam com uma disposição especial para repatriamento que consta no artigo 116 da Lei Fundamental, a Constituição alemã.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.

Compartilhar postagem