Mundo

CIDH pede para Bolívia proteger meninas da gravidez forçada

A gravidez infantil e adolescente é um problema no hemisfério, com cerca de 10 milhões de casos ao ano, alerta a CIDH

Apoie Siga-nos no

A Bolívia deve proteger as meninas da violência sexual e gravidez forçada, afirmou nesta terça-feira (2) a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) depois que uma adolescente de 11 anos foi estuprada pelo seu avô.

A menina está em um abrigo da igreja católica, que rejeita que ela realize um aborto. As autoridades locais, a equipe médica e a mãe da menor também são contra.

“A gravidez de meninas e adolescentes vítimas de abuso sexual colocam em risco sua vida, saúde física e mental, e afeta sua autonomia integral”, destaca a CIDH.

A gravidez infantil e adolescente é um problema no hemisfério, com cerca de 10 milhões de casos ao ano, alerta a CIDH, em um relatório sobre violência e discriminação.

Este organismo da Organização dos Estados Americanos (OEA) afirma dispor de informação segundo a qual na Bolívia uma em cada três meninas sofre algum tipo de violência sexual antes dos 18 anos.

O caso da adolescente boliviana retomou o debate entre aqueles que opinam que ela deve abortar e os que se opõem, como o arcebispado de Santa Cruz (leste), o departamento onde reside a vítima.

A Defensoria alertou que vai implementar medidas legais para que “se reencaminhe o procedimento de interrupção legal da gravidez”.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.