Mundo

China opta por não felicitar Joe Biden

Outros países como Rússia, México e Brasil também optaram por não enviar uma mensagem ao presidente eleito dos EUA

O presidente da China Xi Jinping. Foto: Reprodução
O presidente da China Xi Jinping. Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

A China decidiu não felicitar Joe Biden por sua vitória na eleição presidencial dos Estados Unidos, alegando que o resultado final ainda não é conhecido.

“Tomamos conhecimento de que Biden se declarou vencedor nas eleições”, afirmou o porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, Wang Wenbin.

“Nosso entendimento é que o resultado da eleição será determinado de acordo com as leis e procedimentos dos Estados Unidos”, completou, dois dias depois da vitória do candidato democrata, contestada pelo presidente republicano Donald Trump.

Outros países, como Rússia, México e Brasil, também optaram por não enviar uma mensagem a Joe Biden.

Em novembro de 2016, quando Donald Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos, o presidente chinês Xi Jinping o felicitou um dia depois das eleições.

Guerra comercial 

Embora a derrota do candidato republicano possa representar um alívio para a China, envolvida em uma guerra comercial iniciada por Washington em 2018, alguns analistas apontam que Pequim pode temer que Joe Biden faça uma pressão maior na área dos direitos humanos.

Questionado sobre o tema, o porta-voz chinês respondeu que seu país continua determinado a defender “sua soberania, sua segurança e seu desenvolvimento”.

“Esperamos que a próxima administração americana dê mostras de uma vontade de conciliação”, declarou.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.