Mundo

China declara fim do pico de infecções pelo coronavírus no país

Autoridades chinesas acreditam que a pandemia global deve terminar até junho se todos os países se mobilizarem

Foto: AFP
Foto: AFP

O governo da China declarou, nesta quinta-feira 12, o fim do pico do surto do novo coronavírus no país.  A província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan, considerada o epicentro da epidemia, registrou apenas oito novas infecções. É a primeira vez que Hubei registra uma contagem diária de menos de 10 novos casos.

A pandemia global deve terminar até junho se todos os países se mobilizarem, disse o conselheiro médico do regime chinês Zhong Nanshan.

 

Desde o início do surto, o País registrou 80.980 casos confirmados de Covid-19. Também foram confirmadas 3.173 mortes decorrentes de complicações do coronavírus.

Com os resultados positivos, a China começa a relaxar algumas das restrições em vigor desde janeiro em Wuhan, metrópole de 11 milhões de habitantes em Hubei.

Agora, o governo de Xi Jinping começa a ajudar outros países a enfrentarem a crise. A Itália, onde até ontem o vírus já havia infectado mais de 12 mil pessoas, receberá médicos e toneladas de equipamentos de proteção enviados pelos chineses para diminuir a rápida disseminação da doença.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!