Mundo

Candidato presidencial de esquerda Gabriel Boric lidera pesquisas no Chile

15 milhões de pessoas estão qualificadas para votar no 2º turno do Chile

Gabriel Boric, o presidente eleito do Chile. Foto: Martin Bernetti/AFP
Gabriel Boric, o presidente eleito do Chile. Foto: Martin Bernetti/AFP

O deputado e candidato de esquerda Gabriel Boric é o favorito para derrotar o advogado de extrema direita José Antonio Kast no segundo turno das eleições presidenciais no Chile em 19 de dezembro, segundo pesquisas divulgadas neste domingo 28.

Kast, de 55 anos, representante do Partido Republicano, venceu o primeiro turno em 21 de novembro com 27,9% dos votos e disputará a votação final com Boric, um jovem de 35 anos que obteve 25,8%.

Mas nas primeiras pesquisas para o segundo turno, o candidato de esquerda consegue maior apoio: 40,4% dos consultados pretendem votar em Boric, enquanto apenas 24,5% em Kast, de acordo com o estudo do Pulso Ciudadano, divulgado pelo Canal 13.

Enquanto isso, o jornal El Mercurio publicou uma pesquisa realizada pela empresa especializada Black and White com uma margem mais estreita: Boric obteve 44% de apoio e Kast, 41%.

“É uma disputa muito acirrada, eles estão muito próximos. Marginalmente, milimetricamente, Boric seria o vencedor”, disse Paola Assael, economista da Universidade Católica e representante da Black and White.

Já o percentual de indecisos gira em torno de 15,6% nas pesquisas, enquanto os que dizem que se absterão de votar no segundo turno chegam a 16%.

Cerca de 15 milhões de pessoas estão qualificadas para votar no segundo turno do Chile.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!