…

Califórnia proibirá terapias de conversão de jovens homossexuais

Mundo

WASHINGTON (AFP) – As autoridades da Califórnia vão proibir a partir de 1° de janeiro as polêmicas terapias para conversão de jovens homossexuais ao “caminho reto” da heterossexualidade e se tornará o primeiro estado a aplicar essa medida nos Estados Unidos.

“Essa lei proíbe as terapias não científicas que podem levar os jovens à depressão e ao suicídio”, declarou na segunda-feira o governador Jerry Brown em sua conta do Twitter depois de ter assinado a lei no fim de semana. Segundo Brown, “essas práticas não têm nenhum fundamento científico ou médico, e são relegadas aos charlatães”.

Esta lei, que entrará em vigor no dia 1° de janeiro de 2013, impede que essas “terapias” para modificar a inclinação sexual sejam praticadas em jovens menores de 18 anos. Ela cita o princípio segundo o qual “ser lésbica, gay ou bissexual não é uma doença, nem um problema mental ou uma deficiência”.

Os legisladores californianos se basearam também nos “riscos potenciais” dessas tentativas de conversão à heterossexualidade, entre eles a depressão e as tentativas de suicídio. Os militantes que defendem os direitos dos homossexuais, muito ativos politicamente no ‘Estado Dourado’, também expressaram sua satisfação.

O grupo Trevor Project, que apoia a prevenção do suicídio na comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transsexuais), felicitaram o governador no Twitter por ter assinado um texto “de proteção da juventude LGBT da violência psicológica”. A campanha batizada “Direitos Humanos” levou até o governador californiano um abaixo-assinado de 50 mil pessoas com a aproximação da data limite para a ratificação desta lei.

Leia mais em AFP Móvil

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem
…

Califórnia proibirá terapias de conversão de jovens homossexuais

Mundo

WASHINGTON (AFP) – As autoridades da Califórnia vão proibir a partir de 1° de janeiro as polêmicas terapias para conversão de jovens homossexuais ao “caminho reto” da heterossexualidade e se tornará o primeiro estado a aplicar essa medida nos Estados Unidos.

“Essa lei proíbe as terapias não científicas que podem levar os jovens à depressão e ao suicídio”, declarou na segunda-feira o governador Jerry Brown em sua conta do Twitter depois de ter assinado a lei no fim de semana. Segundo Brown, “essas práticas não têm nenhum fundamento científico ou médico, e são relegadas aos charlatães”.

Esta lei, que entrará em vigor no dia 1° de janeiro de 2013, impede que essas “terapias” para modificar a inclinação sexual sejam praticadas em jovens menores de 18 anos. Ela cita o princípio segundo o qual “ser lésbica, gay ou bissexual não é uma doença, nem um problema mental ou uma deficiência”.

Os legisladores californianos se basearam também nos “riscos potenciais” dessas tentativas de conversão à heterossexualidade, entre eles a depressão e as tentativas de suicídio. Os militantes que defendem os direitos dos homossexuais, muito ativos politicamente no ‘Estado Dourado’, também expressaram sua satisfação.

O grupo Trevor Project, que apoia a prevenção do suicídio na comunidade LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transsexuais), felicitaram o governador no Twitter por ter assinado um texto “de proteção da juventude LGBT da violência psicológica”. A campanha batizada “Direitos Humanos” levou até o governador californiano um abaixo-assinado de 50 mil pessoas com a aproximação da data limite para a ratificação desta lei.

Leia mais em AFP Móvil

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem