Mundo

Boris Johnson sobrevive à moção de confiança do Partido Conservador britânico

No total, 211 dos 359 deputados conservadores votaram a favor do primeiro-ministro, que permanece cargo

O premiê britânico Boris Johnson. Foto: Hollie Adams/POOL/AFP
O premiê britânico Boris Johnson. Foto: Hollie Adams/POOL/AFP
Apoie Siga-nos no

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, afetado pelo escândalo das festas ilegais em Downing Street durante os confinamentos, sobreviveu nesta segunda-feira(6) a uma moção de censura de seu Partido Conservador, mas ficou enfraquecido com o resultado.

No total, 211 dos 359 deputados conservadores votaram a favor do primeiro-ministro, que permanece cargo. No entanto, os 148 parlamentares que votaram contra o líder deixam sua legitimidade fortemente abalada.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.