Boris Johnson anuncia mais um lockdown na Inglaterra

Novas regras de confinamento devem entrar em vigor nesta quinta-feira

O primeiro-ministro Boris Johnson. Foto: Alberto Pezzali/AFP

O primeiro-ministro Boris Johnson. Foto: Alberto Pezzali/AFP

Mundo

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou neste sábado, 31, as novas medidas de lockdown para o Reino Unido. Para frear o avanço da segunda onda de contaminações pelo novo coronavírus no país, as novas regras de confinamento passam a valer a partir de quinta-feira, 5, até o início de dezembro.

Neste sábado, o Reino Unido se tornou o nono país a ultrapassar a marca de 1 milhão de casos de Covid-19. Johnson afirmou que o crescimento no número diário de novos casos de Covid-19 é maior do que o pior cenário previsto e que, sem uma ação imediata, há risco de sobrecarga total do sistema de saúde britânico. Todos os cidadãos devem permanecer em casa e só será permitido sair por razões específicas.

Serviços não essenciais, como comércio e setor hoteleiro, serão fechados. Bares e restaurantes serão fechados. Locais de trabalho poderão manter as atividades, mas apenas caso as funções exercidas não possam ser realizadas de casa. Escolas e universidades seguem abertas. O novo lockdown, embora previsto para se encerrar no começo de dezembro, pode ser estendida diante de um eventual agravamento da pandemia no país.

A reabertura, prevista para iniciar em 2 de dezembro, deverá ser feita etapa por etapa. O governo britânico também anunciou a extensão do programa econômico para a manutenção dos empregos por mais um mês – auxílio que cobre até 80% do salário dos trabalhadores.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem