Mundo

Bolsonaro ‘fracassou’ em suas responsabilidades, diz Greta Thunberg

Ativista adolescente diz que presidente brasileiro falhou em assegurar as condições de vida ‘presentes e futuras’ no País

A ativista Greta Thunberg
Apoie Siga-nos no

A ativista climática Greta Thunberg, de 18 anos, afirmou em uma coletiva na segunda-feira 19 com o presidente da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, que o presidente Jair Bolsonaro falhou em assegurar as condições de vida “presentes e futuras” para os brasileiros.

“Não acho que devemos falar em pessoas, porque o problema é maior do que isso, mas vemos que Bolsonaro tem uma responsabilidade enorme com relação ao clima e ao meio ambiente”, declarou a sueca de 18 anos. “Eu posso seguramente dizer que ele fracassou em assumir a responsabilidade necessária para garantir as condições de vida presentes e futuras da humanidade. E vemos claramente os resultados disso,”

Ambos discutiam os desafios frente à pandemia de Covid-19, principalmente no que diz respeito à vacinação. Antes da conversa, Greta, uma das mais conhecidas ativistas pela causa climática, anunciou que sua fundação doaria 100 mil euros (mais de R$ 665 mil reais) para o consórcio Covax Facility.

“A comunidade internacional deve fazer mais para amenizar a tragédia que é a desigualdade vacinal”, denunciou a jovem. “Temos ferramentas ao nosso alcance para corrigir o enorme desequilíbrio que existe hoje no mundo no combate à Covid-19. Assim como com a mudança climática, devemos ajudar os mais vulneráveis em primeiro lugar.”

O Covax é uma associação pública-privada entre a OMS, a Aliança de Vacinas (GAVI) e a Coalizão para as Inovações no Preparo para Epidemias (CEPI) para garantir uma distribuição igualitária do imunizante contra a covid-19, especialmente em 92 países pobres.

Tedros denunciou que em alguns países ricos, um quarto da população já está vacinada contra a Covid-19, enquanto nos países pobres essa proporção é de uma a cada 500 pessoas.

Cúpula do clima

A declaração da ativista vem na mesma semana que a Cúpula de Líderes sobre o Clima, organizada pelo presidente americano Joe Biden, na qual Bolsonaro fará um discurso e apresentação de metas sobre o tema. O governo atual é o responsável pelos mais recentes recordes de alertas de desmatamento na Amazônia dos últimos anos, além de ser criticado pelo desmonte operacional de autarquias como o Ibama e o ICMBio.

Sobre a cúpula, Thunberg também afirmou que a “podemos ter quantas cúpulas quisermos, mas enquanto não tratarmos a crise como uma crise, não poderemos alcançar grandes mudanças”.

*Com informações da AFP

ENTENDA MAIS SOBRE: ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo