Mundo

Bolívia reconhece pela primeira vez a união de um casal do mesmo sexo

Primeiro casal a conseguir o registro no país está junto há 11 anos

Foto: AIZAR RALDES / AFP

 Foto: AIZAR RALDES / AFP
Foto: AIZAR RALDES / AFP Foto: AIZAR RALDES / AFP
Apoie Siga-nos no

O Serviço de Registro Cívico da Bolívia (Sereci) reconheceu pela primeira vez a “união livre” entre duas pessoas do mesmo sexo no país, após uma longa batalha judicial empreendida pelo casal, segundo uma resolução publicada nesta sexta-feira 11.

 

O Sereci decidiu “disponibilizar o registro da união livre entre David Víctor Aruquipa Pérez e Guido Alvaro Montaño Durán”. O documento anula outra resolução adotada pela mesma instituição em 2018.

Naquele momento, o Serviço rejeitou o pedido do casal para inscrever sua união, que soma agora mais de 11 anos.

O Sereci havia argumentado que as leis bolivianas não contemplavam a união entre pessoas do mesmo sexo.

AFP

AFP
Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.