Bezos, Musk e outros bilionários se livraram do imposto de renda nos EUA

Reportagem investigativa da 'ProPublica' acessou milhares de declarações de impostos de norte-americanos ricos 

Bezos, Musk e outros bilionários se livraram do imposto de renda nos EUA

Mundo

Em meio ao debate internacional sobre o aumento dos impostos sobre empresas, uma reportagem investigativa da organização independente ProPublica revelou nesta terça-feira 8 que vários milionários e bilionários conseguiram se livrar completamente do imposto de renda durante anos nos Estados Unidos.

De acordo com o grupo sediado em Nova York que afirma em seu site buscar “denunciar abusos de poder e traições da confiança pública”, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, não pagou nenhum imposto federal entre 2007 e 2011, e Elon Musk, o criador da Tesla, livrou-se das taxas em 2018.

Ambos estão no topo da lista das pessoas mais ricas do mundo.

Os empresários Michael Bloomberg, Carl Icahn e o investidor George Soros também conseguiram evitar o pagamento de impostos federais por alguns anos, segundo a ProPublica.

Para chegar a essas conclusões, a organização afirma que acessou milhares de declarações de impostos de norte-americanos ricos para o IRS, o serviço de receita do governo federal, abrangendo um período de mais de 15 anos.

Os dados “jogam por terra o mito fundamental do sistema tributário americano: que todos pagam sua parte justa e os americanos mais ricos pagam mais”, afirmam os autores.

“As pessoas mais ricas do país, que obtiveram enormes lucros durante a pandemia, não pagaram sua parte justa”, reagiu o presidente democrata do Comitê de Finanças do Senado, Ron Wyden, nesta terça.

Questionados pela AFP, as equipes de Bezos, Musk, Bloomberg, Icahn e Soros ainda não responderam.

Mas em resposta à ProPublica, um porta-voz de Soros evocou perdas de investimento de 2016 a 2018 para justificar a ausência de impostos federais.

A ProPublica também apresentou a “taxa efetiva de imposto”, que mede a carga tributária paga por cada um em comparação com o crescimento de sua riqueza.

A relação mostra, por exemplo, que o investidor Warren Buffet pagou 0,10% entre 2014 e 2018.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem