Mundo

Após fracasso na tomada de Kiev, Rússia diz estar perto de controlar Lugansk

Pouco antes da invasão, em fevereiro, Putin reconheceu a independência das regiões de Donetsk e Lugansk, parcialmente controladas por dirigentes pró-Kremlin

Registro em 7 de maio de 2022 da ação de bombeiros ucranianianos em Bilohorivka, na região de Lugansk. Foto: Handout/Ukrainian State Emergency Service/AFP)
Registro em 7 de maio de 2022 da ação de bombeiros ucranianianos em Bilohorivka, na região de Lugansk. Foto: Handout/Ukrainian State Emergency Service/AFP)
Apoie Siga-nos no

O ministro da Defesa da Rússia, Serguei Shoigu, declarou que Moscou está perto de controlar totalmente a região separatista de Lugansk, no leste da Ucrânia.

Pouco antes da invasão, em fevereiro, o governo de Vladimir Putin reconheceu a independência das regiões ucranianas de Donetsk e Lugansk, parcialmente controladas por dirigentes pró-Kremlin desde 2014.

“A libertação da República Popular de Lugansk está perto de ser concluída”, disse Shoigu em uma reunião com funcionários do ministério e do Exército, de acordo com agências de notícias russas.

Enquanto isso, a Ucrânia determinou nesta sexta-feira 20 que as tropas entrincheiradas na siderúrgica Azovstal, em Mariupol, entreguem as armas, após quase três meses de resistência à agressão russa.

“O comando militar superior deu a ordem de salvar as vidas dos militares de nossa guarnição e de parar de defender a cidade”, afirmou Denys Prokopenko, comandante do batalhão Azov, em um vídeo publicado no Telegram.

A estratégica cidade no Mar de Azov é palco de diversas acusações de crimes de guerra, incluindo um ataque contra uma maternidade. As autoridades russas negam.

Nas últimas semanas, as forças de Putin concentraram a sua ofensiva no leste e no sul da Ucrânia, destruindo vilarejos e cidades, após falhar na tentativa de conquistar a capital, Kiev.

A resistência ucraniana continua a receber um forte apoio financeiro e militar dos Estados Unidos e da União Europeia. Na quinta-feira 19, o Congresso norte-americano aprovou um pacote de ajuda avaliado em 40 bilhões de dólares. Já o G7, que reúne os países mais ricos do planeta, prometeu 19,8 bilhões de dólares para engrossar as finanças ucranianas.

(Com informações da AFP)

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.