Afeganistão: Êxodo de refugiados e falta de materiais médicos preocupam organismos internacionais

ONU e a OMS se preparam para o cenário mais pessimista do conflito

Foto: Shah Marai/AFP

Foto: Shah Marai/AFP

Mundo

A ONU anunciou, nesta sexta-feira 27, que espera até meio milhão de refugiados afegãos  em 2021, embora nenhum êxodo tenha sido constatado até o momento.

“Em termos numéricos, nos preparamos para cerca de 500.000 novos refugiados na região. Trata-se do cenário mais pessimista”, disse a alta comissária adjunta da agência da ONU para os Refugiados (Acnur), Kelly Clements, ao apresentar o plano regional de preparação e de intervenção para os refugiados afegãos.

Ainda nesta sexta-feira, a Organização Mundial da Saúde alertou que as reservas de material médico vão se esgotar em poucos dias no Afeganistão, para onde espera enviar ajuda pelo aeroporto de Mazar-i-Sharif.

“Restam apenas alguns dias de reservas de material médico e estudamos todas as possibilidades para fazer chegar mais medicamentos ao país”, declarou o diretor do programa da OMS de Gestão de Emergências Sanitárias para o Mediterrâneo oriental, Rick Brennan, durante uma entrevista coletiva on-line realizada do Cairo.

 

 

 

Um dia depois dos atentados no aeroporto de Cabul, que deixaram 85 mortos, Brennan afirmou que as duas prioridades da organização são garantir a segurança do pessoal humanitário e a continuidade dos serviços de saúde essenciais, em especial para as pessoas mais vulneráveis, mulheres e crianças.

A OMS conta com funcionários em todas as 34 províncias afegãs, encarregados do monitorar a situação em matéria de saúde. “A boa notícia é que, das 2.200 unidades de saúde que monitoram, 97% continuam abertas e funcionam”, relatou Brennan.

Em contrapartida, “o material médico está se esgotando rapidamente”, e é difícil fazer a ajuda chegar ao Afeganistão. A OMS disse esperar encontrar soluções nos próximos dias com a colaboração do governo do Paquistão.

“No momento, o aeroporto de Cabul não é uma opção. Por isso, provavelmente, usaremos o aeroporto de Mazar-i-Sharif, com um primeiro voo possivelmente nos próximos dias”, explicou Brennan. Uma das principais do Afeganistão, Mazar-i-Sharif fica no norte do país.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem