Mundo

5ª onda: Holanda decreta toque de recolher e Paris volta a exigir máscara ao ar livre

‘O número de infecções diárias é alto, muito muito alto’, disse o chefe do governo holandês, Mark Rutte

Foto: Philippe Lopez/AFP/Getty Images
Foto: Philippe Lopez/AFP/Getty Images

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, anunciou nesta sexta-feira 26 que bares, restaurantes e a maioria das lojas devem permanecer fechados das 17h às 5h da manhã na Holanda. Em Paris, a obrigatoriedade do uso de máscaras foi restabelecida em alguns locais ao ar livre, perto de onde aglomerações normalmente acontecem, como lugares de culto, feiras ou eventos culturais.

Esta medida surge como parte de um aumento das restrições contra a pandemia na Holanda, que, como seus vizinhos europeus, está registrando uma forte aceleração na contaminação por Covid-19.

Mark Rutte, que discursou na televisão, também ordenou o uso obrigatório de máscaras nas escolas secundárias a partir da segunda-feira 29

“O número de infecções diárias é alto, muito muito alto”, disse o chefe do governo holandês. “Isso significa que não podemos escapar com apenas alguns ajustes simples”, concluiu Rutte.

O número de pacientes hospitalizados com coronavírus na Holanda atinge níveis recordes desde o início de maio, e especialistas alertam que os hospitais podem atingir a capacidade total em pouco mais de uma semana, se a progressão do vírus não for evitada.

Vários pacientes holandeses de Covid-19 foram transferidos para hospitais alemães nesta semana.

Máscara de novo obrigatória em alguns pontos da capital francesa

O comissário da Polícia de Paris anunciou nesta sexta-feira que havia recebido uma ordem que tornava o uso de máscara novamente obrigatório ao ar livre em alguns pontos da capital.

Em nota, os agentes de segurança sublinham que “o território de Paris e sua periferia vive atualmente uma rápida deterioração de seus indicadores epidêmicos”.

“Nesse contexto, um decreto publicado hoje restabeleceu a obrigatoriedade do uso de máscara para todos em certos estabelecimentos e atividades, mesmo quando fosse necessário o passaporte de saúde”, disse o comissário.

Esta obrigação diz respeito a “qualquer reunião, manifestação ou atividade organizada na via pública, locais de festivais, espetáculos e feiras de rua e vendas de produtos, incluindo feiras de Natal”.

A obrigatoriedade do uso de máscara também cobre a área ao redor de escolas ou universidades, locais de culto e filas na capital francesa.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!