CartaExpressa,Justiça

Gilmar vota pela suspeição de Moro: ‘Juiz acusador’

Gilmar vota pela suspeição de Moro: ‘Juiz acusador’

Placar parcial é de 2 a 1 contra o reconhecimento da suspeição do ex-juiz

Foto: Reprodução/TV Justiça

Foto: Reprodução/TV Justiça

O ministro Gilmar Mendes votou nesta terça-feira 9 a favor de que a Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal reconheça a suspeição do ex-juiz Sergio Moro. Para o presidente do colegiado, Moro se comportou como um “juiz acusador”.

Em seu voto, Gilmar também criticou as “intenções espúrias da força-tarefa” da Lava Jato em Curitiba, comandada por Deltan Dallangol, e apontou um “conúbio vergonhoso que se estabeleceu entre a mídia e os procuradores e o juiz”. Para ele, a operação protagoniza “o maior escândalo judicial da história brasileira”.

“Eu não cheguei aqui pelas mãos do PT e era considerado um tipo de opositor de algumas práticas do partido. Portanto, eu sou insuspeito nessa matéria de ter simpatias, envolvimento com o PT. Não obstante, sempre soube distinguir o que é ser adversário do que é ser inimigo. A democracia exige a existência de oposição, de adversariedade, mas ela não convive com um modelo do amigo-inimigo”, disse ainda Gilmar.

O ministro lembrou que já apoiou a Lava Jato, porque “o combate à corrupção é digno de elogio, é fundamental”, mas ponderou “não se combate crime cometendo crime”.

“Infelizmente os órgãos de controle da magistratura nacional falharam em conter os primeiros arroubos de abusos do magistrado”, disse.

O placar, no momento, é de dois votos contra a suspeição de Moro (proferidos por Cármen Lúcia e Edson Fachin) e um a favor (proferido por Gilmar).

Na sequência, votarão o recém-chegado Kassio Nunes Marques e Ricardo Lewandowski.

Assista ao vivo:

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem