Internacional

Cultura

Cinemas nos EUA exibirão "1984" em protesto contra Trump

por Deutsche Welle publicado 02/04/2017 00h30, última modificação 03/04/2017 14h38
Mais de 180 salas projetarão a adaptação da obra de George Orwell em 4 de abril. Escrito em 1949, livro relata a vida em um Estado totalitário
IMDb e Nicholas Kamm / AFP
1984 e Trump

Adaptado para o cinema em 1984, o romance de Orwell é usado para criticar era Trump

Mais de 180 salas de cinema nos Estados Unidos exibirão o filme 1984, baseado no romance homônimo de George Orwell, em reação ao governo do presidente Donald Trump. Por trás da ação, marcada para o próximo dia 4 de abril, estão os organizadores do festival cinematográfico Capital City Film Festival, de Lansing, no estado do Michigan.

"O retrato de Orwell de um governo que fabrica seus próprios fatos, exige total obediência e demoniza inimigos estrangeiros, nunca foi tão atual", lê-se na página do evento.

O filme será exibido em 165 cidades em 43 estados americanos, assim como em cinemas no Canadá, na Inglaterra, na Suécia e na Croácia. Parte do dinheiro arrecadado será destinada a um centro de apoio de refugiados.

O filme britânico será exibido no dia 4 de abril porque essa é a data em que o protagonista da trama de Orwell, Winston Smith, inicia um diário. O diretor do filme, Michael Radford, filmará uma introdução e um debate para serem mostrados junto com o filme, segundo a revista americana Variety.

O romance distópico 1984 se passa num Estado autoritário, que é liderado pelo Big Brother ("Grande Irmão"). A vigilância é onipresente, e a opinião pública é manipulada.

Cena do filme
No Estado descrito por Orwell, a vigilância é onipresente e a opinião pública é manipulável (IMDb)

De início, o protagonista tenta resistir ao sistema, mas, eventualmente, devido a torturas e lavagem cerebral se torna um convicto partidário do regime. A obra foi escrita em 1949 e adaptada para o cinema justamente em 1984.

DW_logo