Esporte

Seleção brasileira de futebol não se classifica para os Jogos Olímpicos de Paris

Ausência foi confirmada após a derrota para a Argentina, por 1 a 0

Foto: Federico Parra / AFP
Apoie Siga-nos no

O futebol masculino brasileiro está fora da próxima edição dos Jogos Olímpicos, que serão disputados em Paris (França) em 2024. A ausência do Brasil, atual bicampeão na modalidade (na Rio 2016 e em Tóquio 2020), foi confirmada na noite deste domingo (11), após derrota de 1 a 0 para a Argentina no estádio Brígido Iriarte, em Caracas (Venezuela), em partida válida pela última rodada do quadrangular final.

Como o Pré-Olímpico oferece apenas duas vagas para os Jogos de Paris, o Brasil permaneceu sem possibilidades de garantir a classificação após ser superado pelos hermanos. Isto porque a equipe canarinho ficou na 3ª posição, com apenas 3 pontos. Já a Argentina alcançou 5 pontos, ocupando momentaneamente a liderança e confirmando a classificação para Paris, quando falta ainda a disputa da partida entre o 2º colocado Paraguai (com 4 pontos) e a lanterna Venezuela (com 1 ponto).

Esta é a primeira vez nos últimos 20 anos que o Brasil fica fora de uma edição dos Jogos Olímpicos, após a ausência em Atenas em 2004.

A vitória da Argentina neste domingo foi garantida graças a gol de cabeça de Gondou, marcado aos 32 minutos do segundo tempo após cruzamento do lateral Barco.

Medo de errar 

A aposta dos dois gigantes sul-americanos tinha um roteiro claro neste duelo de vida ou morte: a Argentina assumiu a posse da bola e o Brasil esperou para contra-atacar, buscando Mauricio e Guilherme Biro pelas pontas e Endrick mais à frente.

O técnico da seleção brasileira, Ramon Menezes, surpreendeu com a substituição de John Kennedy.

Thiago Almada, em cobrança de falta, mandou a bola na trave esquerda do gol de Mycael aos 15 minutos, na melhor das oportunidades no primeiro tempo.

O medo do erro era evidente: o Brasil seguia firme no plano de Ramon Menezes, embora Endrick estivesse bem marcado; a Argentina mantinha a posse de bola com Almada na frente, mas não conseguia levar nenhum perigo até a área adversária.

Logo após o intervalo, aos 48 minutos, Gondou ameaçou de cabeça.

Ramon Menezes colocou John Kennedy e Gabriel Pec para tentar ganhar força no ataque. Kennedy, aos 61 minutos, liderou um contra-ataque que finalmente foi eficaz, mas Pec falhou quando tinha tudo a seu favor.

Gondou decide

A resposta da Argentina foi contundente e no cruzamento sob medida de Barco para a área Gondou desviou para o fundo da rede.

O Brasil se desestabilizou com o gol e a derrota poderia ter sido até pior. Pablo Solari, num ataque puxado por Almada, colocou o goleiro Mycael em apuros.

Os argentinos souberam administrar o tempo  tocando a bola e interrompendo as jogadas braileiras com faltas.

Com a partida chegando ao fim, o nervosismo aumentou e os jogadores das duas equipes discutiram e chegaram a trocar empurrões.

“Não foi um final feliz”, lamentou Ramon Menezes. “É frustrante. Todos aqui estão sofrendo muito com o que aconteceu”.

A Argentina, apesar de Javier Mascherano ter sido muito questionado ao longo do torneio, estará em Paris.

Já o Brasil terá que esperar pelos Jogos Olímpicos de Los Angeles-2028.

(Com informações de Agência Brasil e AFP)

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.