Jogos Olímpicos de Tóquio começarão em 23 de julho de 2021

Evento acontecerá entre 23 de julho e 8 de agosto de 2021, e Jogos Paralímpicos irão de 24 de agosto a 5 de setembro

(Foto: CHARLY TRIBALLEAU / AFP)

(Foto: CHARLY TRIBALLEAU / AFP)

Esporte,Saúde

Os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, que foram adiados devido à crise provocada pela pandemia de coronavírus, começarão em 23 de julho de 2021, anunciou nesta segunda-feira o comitê organizador.

“Os Jogos Olímpicos serão disputados entre 23 de julho e 8 de agosto de 2021, enquanto que os Jogos Paralímpicos irão de 24 de agosto a 5 de setembro”, afirmou o presidente do Comitê Organizador Local de Tóquio-2020, Yoshiro Mori, em coletiva de imprensa.

Poucas horas antes do anúncio, Mori havia comentado que uma decisão sobre as novas datas do evento por parte do Comitê Olímpico Internacional (COI) era esperada para esta semana. A decisão foi tomada menos de uma semana depois do anúncio do adiamento histórico por parte do comitê organizador e do COI, após a intensa pressão dos atletas e federações esportivas.

Nesta semana de incertezas, surgiram especulações de que os organizadores japoneses poderiam aproveitar o adiamento para iniciar os Jogos na primavera japonesa (março-junho), evitando assim a canícula do verão de Tóquio, uma das principais preocupações antes do surgimento do novo coronavírus.

Devido ao calor, a maratona havia sido transferida para Sapporo, uma cidade situada 800 km ao norte de Tóquio e onde as temperaturas costumam ser mais amenas no verão.

O adiamento colocou diante dos organizadores um desafio sem precedentes para reagendar o evento. O diretor-geral do Comitê Organizador Local, Toshiro Muto, admitiu que os custos adicionais serão “maciços”.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem