Educação

Wikipédia destaca mulheres africanas em edição especial

Até 08 de março, dezesseis biografias de personalidades femininas africanas serão editadas em diversas línguas

Lei que tramita no parlamento americano restringe compartilhamento de conteúdos nas redes; em protesto, sites como Wikipedia realizaram blecaute wikipedia enciclopédia online pesquisa
Lei que tramita no parlamento americano restringe compartilhamento de conteúdos nas redes; em protesto, sites como Wikipedia realizaram blecaute wikipedia enciclopédia online pesquisa
Apoie Siga-nos no

Em celebração ao Dia Internacional da Mulher, a Wikipédia lançou a campanha #16WikiWomen, uma maratona de edição e tradução que busca reduzir a desigualdade de gênero existente no site, um dos maiores repositórios globais de informação.

Até 08 de março, dezesseis biografias de personalidades femininas africanas serão editadas em diversas línguas diferentes: árabe, inglês, francês, espanhol, português, mandarim e alemão, além de dialetos africanos, como yorubá e zulu.

Estão na lista, por exemplo, a ativista nigeriana Funmilayo Ransome-Kuti e a atleta paralímpica Nassima Saifi, argelina, medalha de ouro no lançamento de disco, nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, ano passado.

A campanha integra o projeto Wiki Loves Women, realização da Wikimedia Foundation com o Goethe Institut, que busca fomentar a cultura africana e a forma como as mulheres africanas são vistas ao redor do mundo. O projeto possui quatro países focais – Gana, Nigéria, Costa do Marfim e Camarões.

“A desigualdade de gênero e a violência contra a mulher são alarmantes no mundo todo, inclusive na África. Apesar disso, as mulheres são atuantes e influentes em diversas áreas. Elas fazem Ciência, moldam a cultura. Mas, são sub-representadas. No campo dos museus, por exemplo, são a maioria dos profissionais, mas ainda precisam lutar para ter seu trabalho reconhecido. As iniciativas que promovem o conhecimento livre precisam estar comprometidas em agregar essas mulheres e contar suas histórias”, diz Edsonia Lopes, historiadora, membro da equipe GLAM (Galerias, Bibliotecas, Arquivos e Museus) do grupo Wiki Educação Brasil.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.