Weintraub é condenado por afirmar que universidades têm plantações de maconha

A Justiça Federal acatou ação civil pública movida pela União Nacional dos Estudantes e condenou o ex-ministro por danos morais coletivos

O ex-ministro da educação Abraham Weintraub Crédito: Wikipedia

O ex-ministro da educação Abraham Weintraub Crédito: Wikipedia

Educação,Política

A Justiça Federal da 3ª Região decidiu condenar por danos morais coletivos o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, pelas declarações de que as universidades tinham “extensivas plantações de maconha”. As afirmações do ministro foram feitas no ano passado, em uma entrevista concedida ao Jornal da Cidade Online.

“Você tem plantações de maconha, mas não são três pés de maconha, são plantações extensivas de algumas universidades, a ponto de ter borrifador de agrotóxico. Porque orgânico é bom contra a soja para não ter agroindústria no Brasil, mas na maconha deles eles querem toda tecnologia à disposição”, disse, à época.

 

A declaração, sem provas, rendeu inúmeras notas de repúdio em defesa das universidades e uma ação civil pública, movida pela União Nacional dos Estudantes contra a União, que resultou na condenação por danos morais coletivos. O Ministério Público pode entrar em ação de regresso contra o ex-ministro para recuperar o valor.

O presidente da UNE, Iago Montalvão, afirmou que o reconhecimento judicial da ação é “uma grande vitória contra a disseminação de Fake News e o projeto de acabar com a autonomia das instituições”. “Weintraub usou de falsas acusações para deslegitimar o trabalho das instituições de ensino públicas, e não foram fatos isolados. Todo o tempo que ficou no Ministério atuou dessa forma”, completou.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem