Educação

UNE cria plataforma para reunir relatos de estudantes supostamente prejudicados por erro do MEC

Ministério admitiu falha na divulgação de lista preliminar de aprovados

Foto: Juca Varella/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Após erro na divulgação dos resultados do Sistema de Seleção Unificada (SISU), União Nacional dos Estudantes (UNE) criou uma plataforma para reunir os relatos dos estudantes que foram supostamente prejudicados com a falha. 

Segundo a entidade, a plataforma ajudará a entender a dimensão do problema e mapear quais serão as próximas ações tomadas.

O Ministério da Educação admitiu, nesta sexta-feira 2, que os resultados do Sistema de Seleção Unificada, o Sisu, foram divulgados de maneira “indevida” em 30 de janeiro.

O site com os resultados provisórios ficou no ar durante 25 minutos, mas apresentou uma lista incorreta de aprovados.

Logo em seguida, a página saiu do ar e os resultados definitivos foram republicados em 31 de janeiro. Na nova lista, candidatos que haviam celebrado inicialmente descobriram que “perderam” a vaga.

Neste sábado, fontes ligadas ao MEC afirmaram ao G1 que a lista provisória publicada erroneamente ainda não haviam sido finalizadas pela Pasta. 

“Os resultados ainda estavam “rodando” internamente, para que todas as regras de cotas fossem aplicadas, quando o site do Sisu passou a exibir as classificações precocemente”, diz o site. 

Segundo a pasta, o episódio está sendo rigorosamente investigado.

No entanto, o MEC ainda não respondeu se os candidatos que se sentiram frustrados teriam algum mecanismo de reparação, mas confirmou que a relação atual é definitiva.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.