Educação

São Paulo anuncia retomada gradual de aulas na rede estadual a partir de julho

Doria afirmou que os baixos índices de isolamento social podem levar à revisão da flexibilização da quarentena em todo o Estado

Foto: GOVESP
Apoie Siga-nos no

O governo do estado de São Paulo anunciou, nesta sexta-feira 24, a retomada gradual das aulas nas redes estaduais de educação a partir de julho. Em coletiva, o secretário Rossieli Soares afirmou que a retomada será feita pela educação infantil, com atendimento restrito às mães trabalhadoras, e por regiões específicas, de acordo com as orientações do Centro de Contingência do Coronavírus. Além disso, a retomada seguirá protocolos de saúde específicos, que ainda serão anunciados, já que o distanciamento social não é possível com crianças pequenas.

Os estudantes dos ensinos fundamental e médio farão a retomada das aulas em um modelo de rodízio, para que as recomendações do distanciamento sejam seguidas. “Isso não funcionaria com as salas em capacidade máxima, com 30 ou 35 alunos. Uma parte dos alunos irá para as escolas em um dia e parte no outro, até chegarmos à liberação total”, explicou Rossieli.

A retomada também levará em conta as recomendações do centro de contingência por região do estado. De acordo com o governo, a decisão de retomar as aulas ficará a critério das gestões municipais. O estado de São Paulo aderiu às aulas à distância, com a paralisação das escolas. Detalhes do plano de retomada serão anunciados no dia 8 de maio.

Durante coletiva feita nesta sexta-feira 24, o governador João Doria sinalizou que a região metropolitana de São Paulo teve índice de isolamento de 48% na quinta-feira 23, índice que pode impactar na flexibilização da quarentena no estado. O mínimo esperado é de 50%. “Se os brasileiros não fizerem isolamento com índice mínimo de 50%, seguindo as recomendações da saúde, revisaremos a decisão de flexibilizar gradualmente o isolamento na região metropolitana e capital”.

O governador parabenizou 20 cidades que têm mantido o isolamento mínimo de 50% e superado índices de 60%: São Sebastião, Ubatuba, Itanhaém, Lorena, Cruzeiro, Ribeirão Pires, São Vicente, Pindamonhangaba, Caraguatabuaba, Mairiporã, Bebedouro, Cajamar, Itapecerica da Serra, Poá, Guaratinguetá, Caieiras, Votuporanga, Pirassununga. O estado de São Paulo tem 16.740 casos confirmados de coronavírus, um crescimento de 5% em relação ao dia anterior, e 1345 mortes, uma alta de 19% nas últimas 24 horas. No Brasil, os casos confirmados somam 49.000 e os óbitos 3313.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.